SOS Rainforest Live tem showzões nacionais e internacionais

SOS Rainforest Live tem showzões nacionais e internacionais

Guarde esta data! Vários artistas nacionais e internacionais se apresentam na SOS Rainforest Live no dia 21 de junho, a partir das 16h, com a missão de arrecadar fundos para ajudar povos indígenas e comunidades locais que lutam contra a destruição das florestas tropicais.

As apresentações, que acontecem simultaneamente em Nova York (EUA), Londres (Inglaterra) e Oslo (Noruega), são transmitidas gratuitamente pelo canal da Rainforest Foundation YouTube.

Estamos falando de shows internacionais de artistas como Sting, Aurora, Jorge Drexler, Maná, Mathilda Holmer, Aterciopelados, Manu Chao, Allan Parsons, Lyla June, Lisa Simone, Jupiter and Okwes, Sandrayati Fay e OMI.

Já os brasileiros que animam essa festa são Anavitória, Anitta, Iza, Melim, Sandy, Carlinhos Brown, Milton Nascimento, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Maria Gadú, Junior, Tony Garrido, Criolo, Gaby Amarantos, Tropkillaz com Duda Beat e AfroB, Dj Soul Slinger e Jorge Mautner, Evandro Mesquita, George Israel, Vanessa Falabella e Zeca Baleiro.

E a apresentação desse line up incrível fica por conta dos artistas e ativistas brasileiros Letícia Sabatella, Camila Pitanga, Maria Gadú e Tony Garrido e da atriz americana Oona Chaplin, que atuou no filme “Avatar”(2009) e na série “Game Of Thrones” (2011-2019).

Também marcam presença na SOS Rainforest Live líderes indígenas como Sônia Guajajara, da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil, Dario Kopenawa Yanomami, da Hutukara Associação Yanomami, e Rukka Sombolinggi, da Aliança dos Povos Indígenas do Arquipélago (Indonésia).

Luta pelas florestas tropicais

A SOS Rainforest Live é organizada pela instituição Rainforest Foundation, presente em países como Estados Unidos, Noruega e Reino Unido. Essa entidade trabalha para empoderar indígenas e comunidades pequenas, que são importantes protetores das florestas tropicais. A destruição desses ecossistemas é uma das principais causas do aquecimento global e da perda da biodiversidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *